Classificação planejada: Será que o JEC está no caminho certo?

O início de Série C do JEC, devemos admitir, não anima ninguém. O futebol discreto apresentado pela equipe de Fabinho Santos já levanta a desconfiança do torcedor.

O Joinville fez seis pontos em cinco partidas. Na classificação, o tricolor aparece apenas na sexta posição. Mas, será que isso não estava no planejamento? Será que a sequência inicial de jogos de um time não foi mais forte do que a de outro?

Busquei inspiração na metodologia de Classificação Planejada, utilizada pelo blogueiro Rica Perrone. Nesta metodologia, se traça um planejamento para que a equipe atinja seu objetivo ao final da competição. Basicamente: ganhar em casa, tirar pontos dos pequenos fora e aceitar perder para os mais fortes.

No nosso caso, buscamos atingir a meta de 30 pontos. Com essa pontuação, historicamente, se alcança a classificação para as quartas-de-final da Série C do Campeonato Brasileiro.

Vamos à conta! Para chegar aos 30 pontos, num cenário perfeito, o time precisa:

– Vencer todos os jogos em casa;

– Empatar fora de casa contra os três times mais fracos da chave;

– Pode perder fora de casa as outras seis partidas.

Legal! Mas quais são os times mais fracos? Buscamos inspiração na projeção dos times antes da competição, feita pela galera do Globoesporte.com (veja aqui). Nesta projeção, cinco times do grupo B brigavam para não cair: Ypiranga, São Bento, Tupi, Mogi Mirim e Macaé. Definimos que, dentre os cinco, os três teoricamente mais fracos (tomando como base o início da competição), seriam:

Mogi Mirim: rebaixado para a Série A3 do Paulistão, remontou o time às vésperas do Brasileirão;

Macaé: rebaixado no Campeonato Carioca, teve o pior aproveitamento entre todos os dez times da chave no seu respectivo campeonato estadual;

Tupi: menor folha salarial da chave e outro time que lutou até o fim contra o rebaixamento, além de ter perdido as principais peças antes do início da Série C.

Ou seja, para o time alcançar 30 pontos precisa:

– Vencer em casa;

– Empatar fora contra Tupi, Macaé e Mogi Mirim.

No caso dos três times citados, trocamos o time do empate (que não pode ser com o próprio time) pelo Ypiranga, rebaixado no Campeonato Gaúcho.

É o melhor critério? Você adotaria outro? Tudo bem! O importante é termos uma projeção de 30 pontos em 18 jogos para fazer a comparação.

Vamos tomar esse cenário por verdadeiro e vamos verificar uma surpresa: o JEC até o momento, conquistou 100% dos pontos projetados. Ou seja, ao menos na frieza dos números, o JEC está no caminho certo. Veja no quadro abaixo, onde verde significa vitória, amarelo empate e vermelho derrota, a projeção de pontos contra o que foi efetivamente conquistado pelo tricolor:

Pela projeção o JEC não poderia ter perdido para o Tupi. Porém, como empatou jogos com o Ypiranga e o Tombense, onde a projeção era de derrota, o time conquistou 100% dos pontos.

Com isso, pela classificação “planejada”, o JEC hoje seria o quarto melhor time da chave.

Confira abaixo a projeção dos nossos nove outros adversários:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O blog vai acompanhar as projeções ao fim de cada rodada. O tricolor tem um grande desafio nas próximas quatro rodadas: somar 8 de 12 pontos. A jornada começa no domingo, contra o São Bento.

Pra encerrar, fica um comparativo entre a classificação planejada e a classificação atual da Série C.

Curtiu a projeção? Mudaria algum critério? Deixe seu comentário. Até a próxima

Um comentário sobre “Classificação planejada: Será que o JEC está no caminho certo?

  1. Vencer Macaé e Mogi Mirim neste primeiro turno é obrigação. Pensamento pequeno esse de se contentar em empatar esse tipo de jogo. Se não der conta de vencer esses dois timecos, nem pensa em classificação, contente-se em não cair.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *