JEC e suas eternas contratações. Parte 2/5

Se em 2012 era dito que o JEC tinha que se manter, em 2013 era o ano de subir.

Eram tempos de fartura, o clube era um eldorado para jogadores, afinal, ex-atletas e dirigentes que ali passavam falam do comprometimento do Joinville (comprometimento esse que tinha um nome: Pagamento em dia).

Todos nós lembramos daquele 2013 como o ano do quase, de “alma penadas”, de voltas de “reis” e de muita promessa.
Toda semana, se contratavam jogadores, lembram?

-Jogadores que foram muito bem, ou seja foram titulares muitas vezes, um “deu muito certo” – Verde Escuro.
-Vamos considerar que jogadores que tiveram algum momento de titularidade no time, ou que, adentraram bem em jogos como reserva considere um “deu certo”- Verde Claro. Sem nem entrar em questão se eles realmente eram bons jogadores.
-E aqueles que foram mal, um “não deu” – Vermelho.

Contratações do JEC em 2013
Contratações do JEC em 2013

Então após 35 contratações vimos que a série A 2014 estava longe. Após muitos deslizes, os galáticos de Nereu Martinelli ficaram pelo caminho, viram a Chapecoense subir fácil, o Criciúma permanecer na A e ainda foi dado uma forcinha para o Figueirense subir.

Alguém lembra de um bom jogo da “Contratação de Série A”? O Zagueiro João Paulo Goiano? O rapaz veio com um estardalhaço imenso do presidente, e no fim nem tirar o colete tirou. Fatos reais de um clube que errou 24 das 35 contratações no ano de 2013.

Vamos comentar algumas qualificações dadas:
Oliveira, Naldo e Edigar Júnio foram contratações ótimas mas só foram pois mostraram depois. Em 2013 não foram tão bem assim. Mas as contratações foram em 2013. O ano leva os créditos.

-De acordo com a nossa premissa inicial, Sandro, Ronaldo, Marcus Winícius e Rafinha terão que ser consideradas “boas”. Mesmos esses jogadores sendo muito ruins (ao meu ver, ai é critério de vocês).

Números de 2013
Números de 2013

 

Dito isso, os números de erros aumentaram, assim como o de acertos. Muito pelos 3 times contratados. Os erros foram de 15 para 24; acertos foram de 9 para 11.

Quase 70% de contratações erradas e vários jogadores que nem jogaram ou jogaram pouquíssimo (João Paulo GL; João Paulo ZG; Dênis, Alex Barros, Arthur Sanches, Boiadeiro, Pará, Jacó, Ramon, Somália, Alex Silva, Clebinho, Bruno Veiga – 13 jogadores37%).

Se formos considerar que Oliveira, Naldo e Edigar não foram tão bem assim em 2013 o número aumenta e ainda demos colher de chá para Sandro, Ronaldo, M.Winícius e Rafinha.
Quem salvou o ano foi a contratação de Marcelo Costa: Importantíssimo para o clube nos dois anos subsequentes.

Os números de acerto foram de 25% de boas contratações para 20% e de ótimas contratações foram de 12,5% para 11,43%.

Sobre o que os jogadores fizeram no pós JEC, 21 jogadores não alcançaram mais nem Série B; 8 alcançaram a Série B durante esse tempo e apenas 6 jogaram em um nível razoável uma Série A ou foram jogar no exterior.   Caso do volante Hernani e de Edigar Junio, que jogaram no clube de origem (CAP) e de Arthur Maia que saiu daqui e jogou em Flamengo e está na Chapecoense. Temos também o Naldo, que é o único que ainda está aqui.

Sobre o ano, quem lembra sabe a montanha russa que foi. Jogadores que estavam aqui outra vez salvaram a equipe, e no final houve a separação de Lima e Eduardo com o JEC. Momentos turbulentos.

Até o próximo ano, o ano da subida, será que foi tão certo assim? Vamos ver amanhã (se der pra fazer amanhã a parte 3).
Abraços.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *