A base de tudo

base

No Brasil existem diferentes  campeonatos de base que servem de vitrine para o surgimento de novos talentos no futebol. Há anos esses talentos são utilizados para alavancar a renda dos clubes, e assim são vendidos precocemente.

Hoje no JEC existem três categorias de base: Sub-20 (Junior), Sub-17 (juvenil) e sub-15 (infantil), essa última talvez seja a maior prejudicada. Para um garoto integrar a base do tricolor é simples, jogar bem. Jogar bem ao ponto de chamar a atenção dos coordenadores ou treinadores da base em amistosos e campeonatos,  ou jogar para ser indicado ao clube e assim ser observado pela coordenação.

No clube esses jovens atletas encontrarão uma boa  estrutura de apoio com departamento médico, fisiologista, academia (com aparelhos novo) e um espaço para treinamento funcional. A alimentação é de qualidade, os uniformes estão sempre limpos e bem cuidados. O único problema ainda são os campos, esses ainda não condizem com o tamanho do JEC, que deixa principalmente as categorias menores treinarem em campos ruins.

Enquanto  os Juniores participam do estadual, Copa do Brasil, Taça São Paulo e outras competições, e o Juvenil participa do estadual e dos jogos abertos, o infantil é prejudicado por falta de calendário,  participando apenas do campeonato da cidade.

Então não existe esperança na base do JEC?

Sim, existe! Mas ainda precisamos evoluir como clube. Melhorar os campos de treinamento e ter na agenda participar de campeonatos mais fortes com as três categorias é fundamental, dará mais experiências para os garotos e comissão técnica. Como em todos os clubes do Brasil, existem garotos com mais talento e potencial e outros com menos, mas se o Joinville acreditar nessas categorias e se estruturar, veremos com mais frequência o surgimento de novos atletas no profissional, como aconteceu com Popp, Kadu e Luiz Menezes.

Hoje, mesmo com alguns problemas de falta de calendário e campo para treinos dessas categorias, ainda temos um bom  material humano no clube. A comissão técnica vem exercendo  um bom trabalho, desta forma  a tendência é que apareçam mais garotos da base nos próximos anos. Mas para o surgimento de novos talentos e para que eles nos tragam alegrias dependemos de outras peças, como um técnico que aposte na garotada e uma diretoria que invista neles sem pensar apenas em lucrar…até por que essas peças são a base de tudo. Mas isso, já é assunto para uma outra oportunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *