JEC busca o empate duas vezes e fica no 2×2 com o Galo

Joinville e Atlético-MG proporcionaram um grande espetáculo para quem acompanhou, um jogo com muita intensidade, pegada e polêmica. Apesar da grande exibição que fez, e da raça demonstrada em campo, o empate foi um péssimo resultado para o tricolor, onde para sair da zona de rebaixamento, terá que vencer 7 partidas das 10 que restam.

Lucas Crispim foi muito bem. Foto: Divulgação/JEC
Foto: Divulgação/JEC

O galo foi quem iniciou melhor o jogo, e dos pés de Giovanni Augusto teve a chance de abrir marcador, foram duas ótimas oportunidades desperdiçadas. O Joinville também assustou aos 4 minutos, onde Marcelinho Paraíba cruzou a bola na área e Kempes cabeceou sozinho pra fora. Duas grandes oportunidades para o JEC surgiram em menos de 5 minutos, a primeira foi com Marcelinho Paraíba, onde finalizou sozinho de dentro da área, mas acabou pegando mal na boa; a outra oportunidade veio com Lucas Crispim, que recebeu um belo cruzamento de Kempes e cabeceou para o gol, não entrou por pouco! Mais uma boa chegada do tricolor veio aos 23 minutos, Edson Ratinho soltou uma bomba de fora da área, a bola passou a direita de Victor.

O Joinville conseguiu equilibrar as ações, pressionava o time adversário, mas do outro lado tem um time muito qualificado, que quando colocava a bola no chão, chegava com facilidade ao ataque, jogo movimentado! Aos 38 minutos surgiu a primeira polêmica, Edson Ratinho cruzou a bola na área, e a gorducha bateu no braço de Jesus Dátolo, o nosso glorioso Raphael Claus mandou seguir, para a revolta da torcida, que protestou bastante! Mas e aí, foi pênalti? Tire suas próprias conclusões. 5 minutos depois veio outro lance polêmico, Marcelinho Paraíba conseguiu passar por Marcos Rocha e colocar a bola no fundo das redes, mas não valia mais nada, pois a arbitragem pegou um toque de mão do veterano tricolor, que realmente tocou.

Ainda teve tempo para o árbitro expulsar o técnico PC Gusmão, que acompanhou o resto da partida no meio da galera (isso mesmo). E foi isso, Joinville e Atlético-MG não conseguiram sair do 0 na primeira etapa, oportunidades não faltaram, mas eficiência sim. Foram pelo menos 3 ÓTIMAS chances desperdiçadas pelo tricolor, mas a sina de perder gols no JEC persiste.

Edigar Junio não estava inspirado, tanto que foi substituído. Foto: Divulgação/JEC
Foto: Divulgação/JEC

O segundo tempo começou, e aos 6 minutos saiu o primeiro gol, Kempes perdeu uma grande oportunidade na área atleticana, e o castigo veio logo em seguida, o Galo puxou um ótimo contra-ataque, e num passe açucarado de Lucas Pratto, Luan recebeu cara a cara com Agenor e não perdoou, gol do Atlético-MG. 10 minutos depois veio o gol de empate, e o tento foi anotado pelo mesmo cara que deu origem ao primeiro gol do Galo; Marcelo Paraíba cobrou escanteio do lado esquerdo na cabeça de Kempes, que testou com força para o fundo das redes, é festa na Arena, 1×1! O mesmo Kempes teve uma boa chance aos 22 minutos, onde bateu de fora da área, mas Victor praticou a defesa.

O gol incendiou a Arena, e os jogadores também, ânimos exaltados e um jogo pegado! O gol que colocou o galo a frente no placar ocorreu aos 36 minutos, o menino maluquinho (Luan) efetuou um bom cruzamento pelo lado direito, e Thiago Ribeiro, no costado de Mário Sergio (cadê a novidade?), finaliza de primeira no contra pé de Agenor, 2×1 para o Atlético-MG. A resposta apareceu 1 minutos depois, William Popp recebeu de Lucas Crispim e acertou uma pancada de fora da área, um golaço, 2×2! Logo depois o clube mineiro perdeu uma grande chance nos pés de Giovanni Augusto (terceira vez), Luan disparou pelo lado direito e ganhou de Rogério na corrida, o mesmo efetuou o cruzamento que encontrou o camisa 14 atleticano, mas ele não contava com Agenor, que salvou o JEC com sua perna esquerda. O galo ainda teve a chance de fazer com Luan, que bateu cruzado de dentro da área, mas pra fora… ainda bem!

E fim de jogo na Arena Joinville, mais um terrível empate na conta do JEC, que segue na lanterna da competição. A torcida reconheceu a garra do time e aplaudiu, realmente, mereceram aplausos, fizeram uma ótima partida contra o vice-líder, o problema é a vitória, essa maldita não está aparecendo. Anselmo foi um monstro (como sempre), faz toda a diferença quando está em campo, Lucas Crispim também fez uma boa partida, Kempes foi bem, Marcelinho também, enfim, o conjunto funcionou legal, pena que mais uma vez esbarramos no “quase”.

O tricolor agora precisa de 7 vitórias nas 10 rodadas que faltam. Foto: Divulgação/JEC
Foto: Divulgação/JEC

Confira abaixo a ficha técnica:

Joinville 2×2 Atlético-MG

Local: Arena Joinville, Joinville (SC);

Público e renda: 7.486 pessoas, para uma renda de R$ 102.355,00;

Árbitro: Raphael Claus, que foi auxiliado por Carlos Nogueira e Danilo Ricardo Simon Manis;

Cartões amarelos: Bruno Aguiar e Rogério (JEC) | Jemerson e Douglas Santos (CAM);

Gols: Kempes e William Popp (JEC) | Luan e Thiago Ribeiro (CAM). Confira os gols da partida clicando aqui ;

JOINVILLE: Agenor | Edson Ratinho, Bruno Aguiar, Guti e Rogério | Kadu (Mário Sergio), Anselmo, Lucas Crispim e Marcelinho Paraíba (Fernando Viana) | Edigar Junio (William Popp) e Kempes | Técnico: Paulo César Gusmão;

ATLÉTICO-MG: Victor | Marcos Rocha, Jemerson, Leonardo Silva e Douglas Santos | Rafael Carioca (Josué), Leandro Donizete, Giovanni Augusto e Dátolo (Carlos) | Luan e Lucas Pratto (Thiago Ribeiro) | Técnico: Levir Culpi.

O tricolor volta a campo no próximo domingo, novamente as 11 da manhã contra o Flamengo. Faltam 10 rodadas para o término da série A, e precisamos de 7 vitórias, cometer o crime lá no Rio de Janeiro é de suma importância, logicamente sabemos que é difícil, mas não tem outra alternativa, TEM que trazer os 3 pontos do Maracanã, e depois matar as duas seguidas que vai jogar em casa, o que importa é estar fora do Z-4 ao término da 38ª rodada!

Desistir jamais, acreditar sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *