Hemerson Maria: quando não é um cabeça-dura, um gênio!

Cá estamos nós: 4 rodadas, lanterna da competição, 1 gol marcado e apenas 1 ponto somado. A realidade vivida pelo JEC não é das melhores, e sabemos bem disso. Temos um elenco com variadas opções e um treinador que conhece bem o clube e trouxe nada menos que o acesso pra série A (seguido do título brasileiro da série B) e o campeonato estadual- que é nosso sim! – colocando fim a um jejum que vinha desde o último título, conquistado em 2001. São 2 informações adversas, que geram a dúvida: “Estamos mal no Brasileiro. Devemos trocar de técnico agora?”

A resposta é fácil: Não! Existe um todo um trabalho a ser realizado. Não sou dos mais simpatizantes ao nosso treinador, porém, demití-lo não adiantaria de nada. Começamos mal na série A, temos um elenco numeroso, e até mesmo, com uma certa qualidade. Se observarmos, começamos o campeonato catarinense mal também, e no final, campeões. Não quero dizer que seremos campeões da série A. Mas, enquanto for gratuito, podemos sonhar e continuar apoiando o nosso Coelho.

Hemerson Maria não é um treinador bobo, tanto que com um elenco menos qualificado que esse, foi campeão da série B e Catarinense. A realidade é que temos um gênio como treinador, e não chega a ser exagero, tampouco, uma ironia dizer isso. Hemerson Maria tem experiência, vem fazendo um bom trabalho no JEC, mas alguns maus resultados têm feito algumas pessoas pedirem a cabeça dele. Série A é bem diferente da Série B, não há espaços para teimosia ou testes na equipe.

Existem jogadores aptos a serem titulares, e que, por uma certa teimosia do Hemerson Maria, estão no banco ou nem relacionados estão. Nosso treinador, todas as vezes que fez o simples e deu sequência aos jogadores em boa fase, fez com que o Joinville saísse de campo como vencedor. O mesmo não se repetiu quando ele inventou. Há algum tempo, Hemerson Maria vem “teimando” com alguns jogadores ao invés de fazer o simples.

Olhemos para o jogo passado. Perdemos para o Atlético Paranaense, que com todo respeito, não é grandes coisas e não é tão difícil de ser batido. “Teve gol irregular do CAP!”. Certo, aconteceu, porque o Joinville permitiu. Jogar em casa, com 3 volantes de marcação!? Marcelinho Paraíba, com idade avançada, jogando na ponta!? Ítalo Melo ao invés do Popp!? 6 atacantes no banco!? Perdemos para nós mesmos, ou melhor, perdemos para as invenções do nosso treinador, que quando resolveu fazer o simples, o time acordou e esboçou uma reação dentro de campo. Infelizmente já era tarde. Uma derrota por 2×1, em casa, num jogo que não seria tão complicado, piorou um pouco mais o clima.

Quando Hemerson Maria fez o simples, fomos Campeões da Série B em 2014 (com um elenco mais fraco) e Campeões do Catarinense em 2015. Quando inventou, começamos mal no Catarinense e tivemos um início ruim no Brasileirão. Resta saber quando ele irá voltar a fazer o simples e colocar nossa equipe no caminho das vitórias. Seja gênio ou cabeça-dura, não adianta pedirmos a cabeça dele. Basta aguardar o “simancol” do Hemerson Maria para ele voltar a fazer o simples e vencer.

Quando o Joinville vai voltar a vencer? Não sabemos. Que não demore muito, pois todo ponto na série A é precioso. A única certeza é que venceremos quando o “cabeça-dura” der lugar ao “gênio”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *