O Brasil não pode virar a Espanha

Imagine que você está numa entrevista de emprego. Numa dessas seletivas em grupo, onde há cerca de 20 candidatos por vaga.

Bom, agora imagine que seu currículo é ótimo, mas tem dois candidatos que se destacam demais. Eles são muito ricos, o que os possibilitou fazer vários cursos excelentes em grandes instituições. A disputa está igual? Bom, eu acho que não.

Para aqueles que não entenderam a relação deste exemplo didático e o título do post, explico. No campeonato espanhol, o Real Madrid e o Barcelona são os que mais ganham, financeiramente. Talvez por suas torcidas imensas, mas o que importa é que não é lá muito justo com os outros times. O Atlético de Madrid foi, na verdade, uma grata surpresa.

Não podemos permitir que o futebol brasileiro sofra da praga espanhola! A tradição do nosso esporte mais popular não pode se perder numa pseudo-modernização. Não podemos, obviamente, parar no tempo. Entretanto, há maneiras melhores de evoluir.

image

O Corinthians e o Flamengo podem ser chamados de Real e Barça brasileiros. Não pelo elenco que tem, pelo jeito de jogar. Mas sim pela torcida, peso de camisa, tradição e investimentos maiores inegáveis. E até a parte da tradição é aceitável, e inclusive normal! Bom, apesar de concordarmos que mesmo com a cota de TV desses dois times serem exageradamente maiores (eles receberão neste ano R$ 170 milhões cada, enquanto nosso Joinville ganha cerca de R$ 16 mi) os investimentos não dão muito resultado, ao menos não estão dando atualmente. Talvez pelas enormes dívidas que estes clubes contraíram e por terem adotado políticas de retenção de gastos justamente para quitar tais dívidas. Mas não podemos compactuar com essa situação.

Pensem: o Cruzeiro foi bicampeão brasileiro e não vai ganhar o que o Flamengo, que vem acumulando campanhas pífias, e o Corinthians, completamente irregular, ganharão!

E outra: os ditos grandes ganham, de qualquer forma, muito mais. Não tanto quanto os dois já citados, mas qualquer um dos maiores do Brasil vai sempre ter uma cota maior. O Vasco, no ano passado – na segunda divisão- ganhava R$ 70 mi, cerca de 6 vezes mais que o JEC ganhará esse ano na primeira divisão. Isso é completamente injusto!

Até quando permitiremos essa palhaçada no circo que anda o futebol brasileiro? Por essas e outras nosso futebol vem caindo e tomando goleada… Nosso Brasileirão poderia ser o melhor campeonato do mundo! Por que não nos mexemos em prol disso? De maiores investimentos, sim, mas de forma justa… Precisamos exigir mudanças já! Ou sabe-se lá no que isso vai dar…

Um comentário sobre “O Brasil não pode virar a Espanha

  1. Parabéns pelo comentário realmente representa mais que a realidade e algo precisa mudar pois sabemos que qualidade no futebol dos clubes tem e o que tem acontecido é uma injustiça parte das empresas de televisão .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *