Por onde anda: Edgar Bruno, o artilheiro de Dubai

Começamos hoje uma série de entrevistas com ex-jogadores do JEC. Nossa ideia é mostrar um pouco como está a vida deles hoje e o que o nosso tricolor representou em suas vidas.

Com a marca de 42 gols em 3 temporadas jogando no Al Shabab, time treinado por Caio Júnior nos Emirados Árabes, Edgar Bruno da Silva, mais conhecido como Edgol, já é um dos destaques do time.

Edgar iniciou sua carreira no Joinville em 2005 contra a Chapecoense, com 18 anos. Em 2006 jogou o Catarinense e a Série C, marcando 18 gols pelo tricolor. Na época o jogador chamou a atenção e foi convocado para disputar o Campeonato Sul-americano Sub-20 pela Seleção Brasileira, e após isso se transferiu para o São Paulo. De lá jogou por algum tempo em Portugal, voltou ao Brasil por uma rápida passagem pelo Vasco e hoje está em Dubai.

No início foi um pouco difícil a adaptação ao futebol e ao um mundo totalmente diferente do que nós vivemos, mas depois as coisas foram tomando um bom rumo e estou até hoje na mesma equipe.

Falamos um pouco com Edgar para saber como é a sua vida e o que ele lembra do nosso tricolor.

— Aqui tenho uma vida bem legal e tranquila. Dubai é uma cidade fantástica que lhe oferece muitas opções. Um dos fatores que mais me agrada aqui é a segurança, e isso conta muito depois que você forma uma família. A minha equipe é uma equipe média, mas é um clube que sempre chega e incomoda os grandes. Sempre estamos chegando nas finais de Copas e no Campeonato brigamos pelas cinco primeiras colocações. No momento estamos na última rodada do 1º turno em 4º lugar e estivemos todo esse turno entre os quatro primeiros.

Edgol também falou um pouco da importância do JEC na sua carreira e que até hoje continua acompanhando nosso tricolor.

— Eu só tenho que agradecer ao JEC. Se eu estou jogando profissionalmente e se tive a oportunidade de passar por grandes clubes foi porque um dia o JEC abriu as portas para mim. Eu fui para Joinville adolescente, cresci como pessoa e como jogador e só levo boas lembranças e boas amizades que tenho até hoje. Sempre acompanho o JEC, torço e fiquei muito feliz com o título e com o acesso a Série A. Parabenizei algumas pessoas que trabalham no clube desde quando eu joguei, como o Sérgio Ramirez que foi o treinador que me deu a oportunidade e acreditou em mim e sem esquecer do senhor presidente Nereu.

Ele também não descartou um dia voltar ao Brasil, e quem sabe numa nova passagem pelo JEC.

— Tenho essa expectativa sim, mas por enquanto eu me sinto muito bem aonde estou. Agora os meus objetivos são tentar o melhor aqui nos Emirados Árabes e quem sabe um dia voltar para o Brasil e com certeza voltar a vestir a camisa do JEC que é o clube que eu amo e tenho o maior respeito, pois comecei a minha vida nele.


O que achou da entrevista? Gostou deste tipo de publicação? Deixe sua opinião nos comentários. Também deixe a sugestão de qual jogador ou técnico você gostaria de ver por aqui.

Os dados e estatísticas são de Anderson Miranda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *