As adequações na Arena Joinville: uma conversa com Fernando Krelling

O blog conversou na noite desta terça-feira com Fernando Krelling, ex-presidente da FELEJ e atual presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, que esteve presente na comitiva que tratou junto ao comando da Polícia Militar de Santa Catarina, em Florianópolis, da interdição da Arena Joinville.

O resultado efetivo da reunião foi a liberação da Arena Joinville para a realização dos jogos do JEC por mais 120 dias, período em que a Prefeitura deverá se adequar às medidas impostas pela Polícia Militar. Em contrapartida, durante este período o Joinville Esporte Clube contratará seguranças privados para o entorno do gramado, como medida que visa maior segurança do público presente aos jogos.

O ponto principal (e mais polêmico) foi a solicitação de aumento ou instalação de grade entre a arquibancada e o campo, com 2,1 metros de altura. Há uma portaria federal que determina esta distância. De acordo com Krelling, o entendimento inicial dos envolvidos na reunião foi o de que bastaria o deslocamento do gradil da posição atual para o último degrau da arquibancada ampliada. A altura do gramado para o degrau, segundo Fernando, é de 1,5 metro. Com os 1,2 metro de grade, a altura desta até o gramado chegaria em 2,7 metros. O entendimento de toda a comitiva foi este.

Porém, ainda de acordo com o vereador, após a reunião, o Secretário de Esportes de Joinville, Douglas Strelow e representantes da PM foram verificar presencialmente a separação entre arquibancada e campo existente no estádio Orlando Scarpelli. Ao verificar a altura do acrílico instalado no estádio (2,10 metros), a PM disse ao secretário – e não a toda a comitiva – que queria que na Arena fosse respeitada a altura daquela forma.

Aqui mora o impasse. O vereador Krelling relata que a preocupação da prefeitura é que futuramente a PM pode cobrar que a grade possua 2,10 metros, o que acarretaria em um gasto duplo para a Prefeitura, caso seja realizado apenas a remoção, conforme entendimento da comitiva. A decisão da transferência da grade atual ou da colocação de grade nova de 2,10 metros é de responsabilidade da prefeitura. O entendimento do vereador é de que a prefeitura deve fazer o que foi acordado na reunião – a transferência da grade atual para o último degrau da ampliação. O investimento realizado na colocação de acrílico de 2,10m no Orlando Scarpelli, por exemplo, foi de R$ 300 mil. Na visão de Fernando, o valor deve ser investido em outras prioridades da cidade.

A comitiva ainda cobrou que sejam aplicados os mesmos critérios na Arena Joinville e na Arena Condá, uma vez que o estádio de Chapecó possui leiaute e grades semelhantes ao de Joinville – 1,20m de grade.

Entre as outras solicitações da Polícia Militar, estão a separação no estacionamento do espaço da torcida local e da torcida visitante, e o isolamento de local com facilidade para arremesso de materiais do lado externo para o lado interno do estádio. Sobre o estacionamento, o vereador questiona os critérios para a separação, uma vez que não há legislação ou portaria que trate deste tema. Já o tema do isolamento do local citado acima não foi discutido na reunião, segundo Fernando Krelling.

PRÓXIMOS PASSOS

O acordo para a liberação da Arena, segundo Fernando Krelling, foi verbal e cabe à Prefeitura fazer o requerimento para nova vistoria e posterior liberação pela Polícia Militar. O requerimento deve ser feito já nesta quinta-feira.

O blog tentou contato com o secretário de Esportes de Joinville, mas não obteve sucesso até o fechamento da matéria. A publicação será atualizada em caso de novas informações.

 

* Colaborou: Yan Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *