Contratações 2017 – Balanço (até agora)

A derrota para o Brusque ontem e a vitória no tempo normal e a derrota nos pênaltis contra o Sport Recife tiraram o JEC das últimas competições do “primeiro turno” do clube nesse ano, a Copa do Brasil e o Catarinense.

Então, chegamos a esse primeiro momento de reflexão: Como foram as contratações do departamento do futebol do JEC nesse ano de 2017 até agora?

Relembremos o começo do ano: Um rebaixamento vergonhoso na porta de casa acabara de chegar.Torcida totalmente desmobilizada, Presidente com grande descrédito com os mesmos, falta de dinheiro…

O que podia dar certo? A restruturação teria que ser profunda. Mas como?

Mesmo que a atual diretoria esteja se esforçando, ainda não estamos estruturados, pelo menos, não administrativamente. Mas hoje não abordarei os problemas extra-campo (apesar de muito importantes e diretamente ligados a todos os resultados de um clube), vamos debater Carlos Kila, contratações e futebol apresentado dos mesmos.


Vamos começar com Carlos Kila.

THUMBS UP PRA VOCÊ TAMBÉM MR KILA .   Foto: Gabriel Fronzi/Aldo Carneiro

Sua vinda foi o grande ponto positivo da Diretoria (visto os problemas desses primeiros 4 meses de 2017 em outros assuntos).

Kila trouxe consigo contratações diferentes das do que o torcedor do JEC estava acostumado a acompanhar, foram ao todo 16 contratações, a grande maioria de jogadores com experiência em disputas da Série C, que estavam em clubes da mesma e também contando com baixo investimento do JEC nos salários.

Não foi uma tarefa fácil, afinal, para montar um time competitivo sem dinheiro hoje só sendo o maior observador da história do futebol. Isso é muito importante levarmos em conta: O JEC está liso e leso.

Ele errou em alguns nomes, mas ao todo fica um saldo positivo: Os que deram certo estão ajudando muito a equipe.

Outro fator: trouxe jogadores “bons de grupo”, hoje vemos um elenco muito unido em prol do clube e entre os –mesmos, muitas vezes superando a falta de qualidade técnica com raça e amor a camisa (e isso a torcida adora ver).


CONTRATAÇÕES

Ao todo, 6 contratações ótimas, 1 apenas boa e 7 ruins. Não irei contabilizar o goleiro Ferreira, por ter sido contratado para jogar na base. As bases de comparação são as mesmas do ano passado.

-Jogadores que foram muito bem, ou foram titulares muitas vezes, um “deu muito certo” – Verde Escuro.
-Vamos considerar que jogadores que tiveram algum momento de titularidade no time, ou que, adentraram bem em jogos como reserva considere um “deu certo”- Verde Claro. Sem nem entrar em questão se eles realmente eram bons jogadores.
-E aqueles que foram mal e/ou não jogaram um “não deu” – Vermelho.
* Jogadores que já deixaram o clube.

Contratações 2017

São os melhores números desde 2012. Uma taxa de 50% de acerto, é estratosfericamente melhor do que os outros anos (veja aqui!).

Mesmo assim, em números absolutos, as contratações boas ainda não ultrapassam as contratações ruins. Ficaram empatadas.

Falando um pouco, os ótimos campeonatos de Max, Alex Ruan, Caíque e Renan Teixeira são destaque. Bruno Rodrigues e Tinga mostram um futebol muito diferenciado para o nosso nível atual e também já se enquadram nas ótimas contratações.

Henrique Mattos foi uma peça importante para Fabinho Santos e se tornou um reserva requisitado pelo comandante, jogou 13 jogos e ao geral, não foi tão cobrado. Apesar de que, pessoalmente não acho um zagueiro de qualidades.

Entre as contratações ruins, o ataque preocupa: Bruno Batata, Ciro e Fabinho Alves são contestados pelos torcedores e também não fazem jus. Pouco produzem e pouco mostram futebol. E o que dizer de Lúcio Flávio? Trazido como o grande maestro, também decepciona. Não parece ter mais condições físicas para um jogo de alto nível, erra bolas paradas e foi deixado no banco pela garotada do JEC, é um grande líder fora de campo e apenas nisso pode acrescer algo no elenco ainda.

O grande erro porém foi o caso do atacante Gustavo Xuxa. Após alguns jogos bons, o contrato que iria até o fim do Catarinense foi prorrogado para o fim do ano. Xuxa nada mais mostrou e acabou indo parar em empréstimo no Rio Branco/AC. Talvez, uma decisão muito precipitada.

FOTO: jec.com.br

Nada disso é definitivo. Jogadores que estiverem mal, podem melhorar; Jogadores que estiverem bem, nada de trégua.

QUE VENHA A SÉRIE C E AS NOVAS CONTRATAÇÕES. Estaremos de olho!

3 comentários sobre “Contratações 2017 – Balanço (até agora)

    1. Fabinho Alves não produziu nada para a equipe, apenas alguns bons dribles e uma correria, no geral é um péssimo jogador. Não consegue finalizar, passa mal e não sabe fazer cruzamento. Verifique VT de jogos, são pouquissimos os passes/cruzamentos dele que deu em alguma coisa produtiva. 0Gols, e 0Assisitência, para um ataque não da.

  1. e bom lembrar que diferente dos outros anos vários jogadores tinha contrato de apenas 3 meses portanto vários dos que foram embora foram por finalizar o contrato e sem deixar o Joinville ainda mais endividado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *