Presença de torcida do JEC em estacionamento da Arena “pode ser interpretada como descumprimento de decisão”, afirma especialista

Segundo presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB-RJ, “som dos torcedores entrando no estádio” pode caracterizar infração em tese; Joinville jogará de portões fechados neste sábado, diante do Vila Nova, pela 38ª da série B

A presença da torcida do Joinville no estacionamento da Arena, para apoiar o time que jogará contra o Vila Nova na luta pela permanência na série B, neste sábado (26), pode causar novas punições ao clube.

Segundo o presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB-RJ, Marcelo Jucá, o barulho causado pelos torcedores, mesmo sendo do lado de fora das arquibancadas, poderia ser caracterizado pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) como uma infração no cumprimento da pena de jogar de portões fechados.

– Eu não arriscaria correr o risco de ser interpretado que houve descumprimento. Acho muito temerário autorizar este tipo de conduta -opinou Jucá.

Porém, segundo o advogado do Joinville, Roberto Pugliese, não há nada no regulamento que proíba a torcida no estacionamento. A informação foi publicada por Charles Fischer em sua conta no Twitter.

Atualização (22h28): em entrevista ao repórter Beto Lima, da Rádio Máxima FM, o advogado do clube afirmou que, sim, não há nada que impeça, porém existe uma recomendação para que não dê qualquer possibilidade para uma “virada de mesa”. Ou seja, por uma confusão, o Tricolor acabe perdendo a pontuação da partida.

O Joinville cumpre punição após arremesso de bombas ao gramado no confronto diante do Avaí, pela 27ª rodada da série B. A partida deste sábado vale a permanência na segunda divisão para o JEC. Para se salvar, o Tricolor precisa de um empate combinado a uma derrota do Oeste para o Náutico, na Arena Pernambuco. Se o clube de São Paulo empatar, o Joinville terá que vencer o Vila Nova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *