O torcedor e o agonizante desmoronamento do seu clube

Boa noite a todos.

Quem aqui consegue dar um sorriso quando se fala em futebol?

O Joinville Esporte Clube é o interruptor que atinge a felicidade dos torcedores. Falar em futebol para um jequeano roxo hoje é querer deixa-lo para baixo.

Quem tem culpa nisso? Vem presidente, sai presidente. Para os olhos atentos, a mudança é o nome do ocupante momentâneo, pois o dono do cargo é o mesmo: A incompetência.

Não, não que os que passaram ali agiram de má-fé. Muitos fizeram o que podiam e o que não podiam. O que assombra é o quanto essas pessoas são sozinhas num grupo de conselheiros que pouco se faz presente.
Num grupo onde a elite de Joinville domina,  mas que dali ninguém quer se incomodar com isso. Cadeiras ornamentais apenas.

O Joinville, desde 2009, não aprendeu a crescer. Não aprendeu a ser grande, como sempre foi e será. O que dói no torcedor é ver que os clubes ao redor estão em crescente, clubes que saíram lá atrás da gente e estão já 10,20 anos na nossa frente. Quanto voltaremos a nos impôr em Santa Catarina? Quando voltaremos a ser a referência de futebol desse estado para com o Brasil?

O Torcedor paga por tudo isso.

Paga por ter diretores que por anos acharam (e ainda acham) que

-categorias de base é decorativo;

-que Diretor de Futebol é cargo tampão;

-que Presidente é quem tem que contratar;

-contratar Jogador de Empresário como brinde é parte do negócio;

-são donos de jogadores que estranhamente não saem e que ninguém percebe isso;

-é certo fazer apostas quando se precisa de certezas;

-é certo fazer “economia” e contratar só quando vem os Brasileiros;

-não tem pulso e nem importância para conseguir patrocínios;

-fazer o torcedor pagar décima terceira mensalidade obrigatória era uma boa idéia;

-torcedor é patrocínio;

– contratar técnico é como mudar de camisa, assim como dar a chave do vestiário pro cara;

-entendem de futebol.

Pode escolher uma dessas, e tem várias e várias outras.

O meu intuito com esse texto é: Que o Torcedor do Joinville aprenda com mais essa faca que os diretores aplicaram em nossos corações.

Um clube se faz com presença. Não só de público.

Com presença em interesses do clube em geral.
Quantos aqui estavam presentes na ACLAMAÇÃO da nova diretoria?

Quantos aqui contestaram o antigo presidente que, como seu sucessor, mal ia nos treinos e no CT no ano passado?

Quantos aqui contestaram a ridícula forma que o clube evaporou 20 milhões de reais de TV?

Sim, NÓS TAMBÉM SOMOS CULPADOS. É difícil de aceitar isso, mas é a mais pura verdade.

Também cabe aos veículos de imprensa criticas pesadas aos modelos de gestão do clube. Sem papas na língua, sem apadrinhados, sem rabo-preso.
“A mais isso só atrapalha o clube…”
Atrapalhar? Se algo está eticamente errado dentro do clube é o dever da imprensa jogar a sujeira no ventilador. O medo da represália só deve vir de quem tem medo de falar, então, não há motivos teóricos para não criticar Presidentes, Diretores, Jogadores, Técnicos…

Adversidades como essas fazem um clube deitar e morrer, ou cicatrizar e crescer mais forte. Cabe a TORCIDA suturar as feridas ou deixa-las a Deus dará.
O Joinville Esporte Clube não merece a sua diretoria atual, não merece essa situação e não pode se apequenar com práticas de omissão e descaso.

Dias melhores virão, mas é o torcedor que decide quando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *